Vestibular_para_ensino_a_distância_saiba_como_garantir_sua_vaga.jpg.jpeg

Você sabe como é o processo de seleção para a entrada em cursos superiores na modalidade de ensino a distância nas universidades de todo o país? Já parou para refletir se existem diferenças entre o ingresso em cursos presenciais e cursos EAD? Como se preparar para conquistar uma vaga e, finalmente, iniciar sua graduação?

São muitas as dúvidas que ficam pipocando quando o assunto é dar um passo a mais na vida escolar e na carreira e optar por investir na formação superior. O ensino a distância talvez suscite ainda mais questões porque, por mais que essa seja a opção comprovadamente eficaz e de qualidade de vários estudantes em todo o território nacional, muitas pessoas ainda têm dificuldade de entender como é possível ter aulas sem, necessariamente, estar em uma sala física.

Uma das provas do compromisso do EAD com a excelência do ensino é que seus alunos, para ingressar nos cursos, precisam ser previamente aprovados no vestibular. Por mais que o processo seja flexível e, muitas vezes, não exija do candidato a presença on-line, o rigor é mantido. O vestibular é uma ferramenta para alinhar os conhecimentos do aluno que pretende ingressar em determinado curso com o que é esperado pela instituição e medir suas potencialidades iniciais e possíveis fraquezas.

Então, para que não fique dúvidas: cursos de ensino a distância exigem, sim, que o candidato passe por um processo seletivo para ter sua candidatura aprovada e poder iniciar sua graduação. Há, no entanto, várias maneiras possíveis para o que vestibular aconteça. A seguir, falamos de cada uma delas para que você se programe e escolha a forma de ingresso que melhor te atende. Prepare-se para o processo de seleção com garra e dedicação!

De quais formas é possível prestar vestibular para ensino a distância?

A flexibilidade de realização do vestibular para EAD faz sentido. Se alguém procura por um curso de graduação a distância, muitas vezes têm seus motivos pautados na dificuldade de estar na universidade fisicamente. É o caso de profissionais que moram em outras cidades; daqueles que viajam muito a trabalho e, portanto, não conseguem estabelecer uma rotina fixa em uma só localidade; de mães e pais com filhos novos, que requerem muitos cuidados; e inúmeras outras razões.

Pense bem: se é mais do que provado ser possível oferecer um curso de graduação inteiro tão bom ou mesmo melhor que os presenciais na modalidade a distância, da mesma forma é possível fazer com que a seleção não pressuponha a presença física dos candidatos nos moldes de antigamente. Por esse motivo, são oferecidas opções de modalidades de vestibular sem comprometer a qualidade e a seriedade do processo seletivo.

As alternativas incluem até mesmo o vestibular presencial, que pode ser escolhido pelos candidatos que não apresentam ressalvas para fazer aquela prova em uma universidade física naquela data específica. Há, também, a possibilidade de fazer o vestibular agendado, o vestibular on-line e até mesmo utilizar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, para o ingresso em um curso de ensino superior a distância.

Vestibular presencial

É a forma mais tradicional de vestibular e praticada há anos. Essa modalidade, como o nome diz, envolve a presença física do candidato no dia, horário e local específicos em que vários outros candidatos estarão, também, pleiteando vagas no curso superior.

As provas, geralmente, englobam questões de múltipla escolha e discursivas. Em alguns casos, porém, as provas são discursivas em sua totalidade, consistindo da elaboração de uma redação que corresponde ao total dos pontos.

As avaliações presenciais são geralmente aplicadas em finais de semana, para garantir a tranquilidade de deslocamento dos candidatos. A duração é variável, sendo disponibilizadas mais ou menos horas a partir da quantidade de questões, estilo (abertas e fechadas, apenas abertas) e sua complexidade.

Atenção: candidatos que se apresentarem após o horário estabelecido, portarem objetos indevidos (entre eles eletrônicos como telefone celular, tablets, iPods, gravadores ou similares) ou não apresentarem documentos que os identifiquem são proibidos de realizarem a avaliação.

Vestibular agendado

A diferença entre o vestibular presencial e o vestibular agendado é, essencialmente, a data da sua realização. O mesmo processo de inscrição, recebimento do conteúdo a ser estudado para a prova e a preparação são observados, mas a diferença é que, enquanto no vestibular presencial tradicional todos os candidatos se dirigem ao local marcado no mesmo dia e horário para fazer a prova, no vestibular agendado o candidato realiza a avaliação em uma data diferente, mais cômoda para sua agenda.

Várias são as vantagens desse tipo de vestibular. Entre elas, a solução para a pressão de ver outros estudantes no mesmo local que você disputando as mesmas vagas — isso, muitas vezes, pode te atrapalhar a ponto de prejudicar o seu desempenho.

Optar pelo vestibular agendado também é fugir das possíveis distrações proporcionadas por outros candidatos no dia da prova — você não terá que lidar com aquela pessoa que sempre resolve abrir uma embalagem barulhenta de lanche no meio da avaliação ou aquele candidato que tem manias que atrapalham outras pessoas, como bater a caneta na mesa ou “pensar alto”.

Vestibular on-line

O vestibular on-line é adequado para candidatos que precisam lidar com muitas tarefas no cotidiano e têm dificuldade de se locomover para realizar a prova, ou mesmo pretendem pleitear uma vaga em um curso cujo polo fica em outra cidade que não aquela em que mora ou trabalha.

Apesar de as formas de funcionamento do vestibular on-line variarem de instituição para instituição, basicamente o candidato tem acesso a uma plataforma por meio de login e senha, onde está a prova, e responde todas as questões nesse ambiente virtual. Como todo o sistema é automatizado, é possível ter acesso ao resultado com maior rapidez.

Algumas universidades também oferecem a opção de que o candidato se dirija ao laboratório do campus mais próximo para fazer o vestibular on-line caso não possua, em casa, computador com os requisitos mínimos para que a prova seja visualizada e feita da maneira correta. É possível, na maior parte dos casos, escolher o horário para fazer a avaliação, de acordo com a disponibilidade.

Enem

Há a possibilidade de o candidato participar do processo seletivo para os cursos de graduação a distância utilizando a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para isso, é preciso indicar corretamente o ano em que o exame foi realizado e o número de identificação correspondente no Ministério da Educação (MEC). As informações são de responsabilidade dos candidatos, que devem ficar atentos ao prazo de validade para a nota adquirida no exame. O processo seletivo para entrada em 2016, por exemplo, pode aceitar notas do Enem de 2011 a 2015.

Quem optar por utilizar a nota do Enem para a seleção estará dispensado pela universidade de prestar prova específica da instituição, seja em qual modalidade for. O aproveitamento é, claro, consultado no órgão competente. Para decidir se o candidato está dentro ou fora do curso para o qual deseja ingressar, é considerada nota correspondente ao percentual obtido na prova do Enem.

Por exemplo: se a prova tradicional presencial é composta por uma redação no valor de 100 pontos, a nota do candidato que optar por utilizar o aproveitamento do Enem será a proporção entre a nota do exame nacional e daquela avaliação específica da instituição. Por isso, o Enem deve ser tratado com o máximo de seriedade: ele pode ser a porta de entrada para seu curso superior.

Como posso me preparar para o vestibular?

Seja qual for a forma que você escolher para fazer seu vestibular e conquistar sua vaga no ensino superior, uma coisa é certa: é preciso se preparar. Estudar para o processo seletivo pode ser uma excelente maneira de rever conteúdos que serão indispensáveis para quando você estiver efetivamente fazendo o seu curso de graduação.

Mais ainda, o vestibular, em todas as suas modalidades, pode ser um termômetro para saber como você está quanto a uma das habilidades mais valorizadas atualmente: a capacidade de construir seu raciocínio de maneira clara, coesa e consistente, o que é verificado pelas questões abertas. Por isso, empenhe-se no processo de seleção e em toda a preparação que te leva a ele.

Para quem vai optar por aproveitar a nota do Enem, as dicas também valem para a realização do exame. O importante é apostar no planejamento, determinação, gestão do tempo, aprendizagem gradativa e manter as distrações longe.

Tenha atenção ao edital e saiba o que será cobrado

Muitos candidatos cometem um erro banal no comecinho do processo: não ler o edital de seleção com atenção e, por consequência, deixar de extrair dele informações valiosas.

Com uma leitura cuidadosa, você vai ficar por dentro de todos os detalhes do processo de seleção, o estilo das questões da prova para treinar habilidades específicas e o conteúdo a ser cobrado. Não comece a estudar no escuro!

Não deixe para estudar em cima da hora

Participar de um processo seletivo para uma vaga no ensino superior é, geralmente, uma decisão tomada com antecedência. Por isso, se você já sabe a data da prova e o conteúdo que ela abordará, planeje seus estudos distribuindo melhor os assuntos em um intervalo maior de tempo.

Assim, você terá condições de estudar com calma, revisar, e não vai ser vítima de uma ansiedade totalmente desnecessária que virá se você não souber se organizar. Estudar em cima da hora é um tiro no próprio pé, especialmente se você tem uma rotina de trabalho pesada, com pouco tempo disponível. Programe-se.

Crie uma rotina de estudos

Se estudar em cima da hora não é uma opção e é importante, para seu processo de aprendizagem e memorização, que você leia cada conteúdo dispondo de mais tempo e com tranquilidade, é preciso estabelecer uma rotina de estudos a cumprir. A partir dela, será bem mais fácil fazer a gestão do seu tempo e não se dispersar.

Comece calculando quanto conteúdo você tem para estudar para prova e quanto tempo tem até o dia da avaliação. Então, divida o período e consiga uma previsão de quantos dias podem ser dedicados a cada um desses assuntos. Assim, vai ficar mais fácil estabelecer uma rotina diária de estudos, porque você terá noção do processo como um todo, e, assim, mais condições de distribuir melhor seu tempo de estudar ao longo do dia.

Se você tem uma rotina pesada e está sempre tropeçando de cansaço aos finais de semana, tente diluir seu tempo de estudos entre os dias úteis. Quem sabe estudar por 1,5 hora, ao final do dia, de segunda a sexta, não é a melhor opção para você?

Pode ser, também, que aconteça o contrário: você prefere abrir mão de parte dos finais de semana para estudar e manter seus dias úteis dedicados ao que já faz. Também é uma possibilidade concentrar a preparação para o vestibular nos sábados e domingos, desde que você respeite tempos de pausa e tenha, especialmente, muita força de vontade. O mais importante é que o ato de estudar seja, de fato, um compromisso no seu cotidiano.

Estabeleça metas reais

Estudar não é a tarefa mais simples do mundo. Mas pode ser menos difícil se você evitar as frustrações causadas pelo estabelecimento de metas irreais que você não vai conseguir cumprir.

Por exemplo: se você precisa ler um livro de 200 páginas, não é muito mais adequado se programar para ler 40 páginas por dia e finalizá-lo em 5 dias do que estabelecer que vai ler tudo de uma vez em um dia só? Pode até ser que você consiga, dependendo do seu ritmo de leitura e da inexistência de outros compromissos, mas há muito mais chances de não conseguir.

Estabelecer metais reais é ter honestidade consigo mesmo e evitar a falta de motivação por constantes objetivos não cumpridos e tarefas iniciadas e não finalizadas. Por isso, tente sempre ser realista com o que propõe na sua rotina de estudos.

Afaste as distrações

Concentrar-se, geralmente, exige uma boa dose de força de vontade. O nosso cérebro costuma nos passar a perna e priorizar o que é mais prazeroso de fazer em detrimento do que é realmente necessário. Estudar deve ser, sim, uma atividade agradável, mas ficar horas interagindo com amigos nas redes sociais ou navegando sem rumo pela internet pode parecer mais.

Por isso, é preciso que você tome algumas atitudes para evitar que você sabote a importante missão de estudar com qualidade para o vestibular. E a melhor forma de fazer isso é afastando as distrações. Fazer logoff do Facebook e do Twitter, desligar a televisão e manter o celular bem longe para não cair na tentação de verificar o WhatsApp pode parecer difícil, mas é decisivo para que você não comprometa sua meta maior.

Há quem prefira, inclusive, desligar o aparelho telefônico para não correr nem o risco de escutar a vibração que significa notificação. Se você tem condições de fazer isso sem comprometer outros aspectos da sua vida (caso você tenha filhos, por exemplo, é uma missão impossível), faça. Caso não possa ser radical, entenda que você precisa de força de vontade redobrada.

Diversifique suas fontes de informação

Grande parte do que é cobrado nas questões discursivas de provas de vestibular se refere a assuntos que não são apenas acadêmicos, mas que estão aí, no nosso cotidiano. Estar por dentro do que acontece no Brasil e no mundo, das atualidades e, principalmente, conseguir olhar criticamente para esse contexto, é fundamental para que você mostre que tem grande potencial. Interpretação é a chave para as questões discursivas e, quanto mais repertório você tiver, melhor.

Por esse motivo, não apenas os livros didáticos são suas fontes de informação mas também os jornais impressos, revistas, sites, documentários, programas televisivos e vários conteúdos aos quais você pode ter acesso na internet. Tenha sempre atenção e verifique se aquele veículo é reconhecido por informar com qualidade.

Tenha o dicionário como seu melhor amigo

Muitas pessoas acreditam erroneamente que saber as regras do português só é importante para quem vai cursar graduação em áreas como Letras e Comunicação. Mas a realidade é que dominar as regras gramaticais e evitar cometer deslizes vai contar vários pontos a seu favor na correção das questões discursivas.

Por esse motivo, ter sempre a companhia de um dicionário quando estiver se preparando para o vestibular pode ser a melhor maneira de evitar dores de cabeça no futuro. Além disso, esse instrumento, junto com a leitura em geral, vai ampliar seu vocabulário. O resultado disso é o entendimento de que você tem boas noções de conhecimento geral e bagagem para fazer um excelente curso na universidade.

Crie um ambiente favorável para estudar

Vários fatores influenciam para que você estude bem, desde os físicos até os psicológicos. Os dois aspectos estão presentes quando pensamos sobre o ambiente adequado para desenvolver seus estudos e se preparar da melhor forma possível para o vestibular.

Para começar, não é segredo que um local de estudos silencioso e onde você fique livre de interrupções é fundamental para que sua concentração, construída a duras penas, vá por água abaixo. Se você mora em uma casa com muita gente, especialmente crianças, o jeito é eleger os horários de menor movimento para mergulhar nos livros e cadernos. Por esse motivo, muitas pessoas preferem estudar no período da noite ou mesmo de manhã bem cedo, antes de todos acordarem.

A iluminação do espaço vai interferir no seu processo de estudos, bem como a própria disposição material desse espaço. Uma cadeira desconfortável, por exemplo, é um convite para que você corra para bem longe dali. Preocupe-se em conseguir montar um ambiente confortável e acolhedor, mas compatível com os estudos, com você.

Outra dica: muito estímulo visual em um cômodo também pode levar você a se desconcentrar com mais facilidade. Tenha todos esses fatores em mente e não subestime a necessidade de encontrar o cantinho de estudos perfeito. Afinal, passando no vestibular, você vai iniciar um curso EAD e, com toda certeza, vai precisar de um ambiente propício para ter suas aulas virtuais.

Respeite a necessidade de pausas

Estudar em um ritmo exaustivo, sem descanso, vai te trazer mais problemas que benefícios. Fato é que nosso cérebro precisa de descanso para poder processar as informações e não ficar sobrecarregado. Não respeitar essa necessidade de intervalos só vai fazer com que sua mente e seu corpo se estressem mais do que o necessário, especialmente perto do vestibular.

Você pode, inclusive, usar a tecnologia a seu favor e utilizar aplicativos para sistematizar seu tempo de estudos e de pausas. O método Pomodoro é um sistema criado no final da década de 1980 e que ajuda a gerenciar o tempo de estudo.

Você divide seu trabalho em períodos de 25 minutos cada, os pomodoros. Ao final de cada período, faz um descanso rápido, de 3 a 5 minutos, e começa um novo bloco. A cada 4 pomodoros, é preciso fazer uma pausa mais longa, de 15 a 30 minutos. É possível contar com apps que já fazem essa medição do tempo para você, como o Pomodoro Timer Lite ou ClearFocus.

Cuide do seu sono

Definitivamente não é conversa fiada: o sono afeta nossas habilidades cognitivas. Quando você não dorme direito, tem mais tendência à irritabilidade, perde a capacidade de concentração e memorização e, por tudo isso, não rende o tanto quanto poderia nos estudos.

Por isso, é recomendado dormir cerca de 8 horas por dia, tempo estimado para que nosso corpo de fato descanse e esteja preparado para novos períodos de estudo com novos estímulos e informações. Especialmente perto da prova do vestibular, não cometa a besteira de sabotar uma boa noite de sono. Para garantir sua qualidade, evite fazer atividades agitadas antes de dormir nem caia na armadilha de dar “só uma olhadinha” no celular antes de fechar os olhos. O momento do sono é sagrado.

Não descuide da alimentação

Alguns alimentos têm nutrientes benéficos para quem está estudando e pode ser usado por você como trunfo para se sair bem na prova do vestibular. O ômega 3, por exemplo, favorece a comunicação entre os neurônios e melhora a memória, a concentração e o aprendizado em geral. É encontrado em peixes de água salgada como sardinha e cavala, além das sementes.

Já as vitaminas do complexo B auxiliam a fornecer mais energia para o corpo, melhorando a capacidade de memória e ajudando no desenvolvimento dos neurônios. Elas estão presentes especialmente nas proteínas animais, como carne vermelha, aves e ovos, além das leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico) e nas sementes, como nozes, castanhas e amêndoas. Portanto, aposte em todos eles.

Perto da prova, evite alimentos pesados, condimentados e de difícil digestão. Muito cuidado com bebidas estimulantes, como refrigerante, energético, café e alguns tipos de chás, que podem acelerar o metabolismo e aumentar a angústia e ansiedade para a prova.

Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia não precisa ser sua inimiga no processo de preparação para o vestibular. Ao contrário. Recorrer ao TED para visualizar palestras de figuras fascinantes, como médicos, especialistas em negócios, escritores e cientistas, pode auxiliar você nos estudos.

Já um aplicativo chamado Novo Acordo Ortográfico, como o nome já adianta, ajuda no entendimento das mudanças na língua portuguesa e traz dicas quanto ao uso do hífen e outros itens que costumam causar dúvidas na redação para o vestibular.

Para manter a concentração nos estudos, você pode utilizar o aplicativo SelfControl, que bloqueia determinados sites durante um tempo para que você definitivamente não caia em tentação. Uma vez estabelecidos os bloqueios, você não pode acessar esses endereços por mais que tente, o que vai te manter na linha.

E você, tem dúvidas sobre o vestibular para cursos de graduação EAD? Tem outras estratégias para estudar para provas e exames? Então, não deixe de compartilhar com a gente nos comentários!

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário