Transferência_de_curso_como_funciona_e_quem_pode_pedir.jpg.jpeg

Para quem está na faculdade, a famosa afirmação de que a vida é feita de escolhas passa a fazer muito sentido. Buscando a carreira desejada ou aquele curso que promete oportunidades no futuro, a maioria dos estudantes pesquisa com cuidado antes de decidir a faculdade a ser cursada.

Ainda assim, é comum que, ao entrar na graduação, boa parte desses jovens encontra situações muito distantes das próprias expectativas, o que gera dúvidas entre continuar no caminho ou trocar de área. O fato é que, seja por motivo de pouca identificação com o curso ou por necessidade de mudança, muitas pessoas hoje buscam alternativas viáveis para não desistir do sonho de cursar o nível superior.

Nesse sentido, a transferência de curso surge como um recurso valioso para facilitar a migração de estudantes para uma nova faculdade. Neste post, entenda mais sobre este processo e saiba como aproveitá-lo:

Como funciona a transferência de curso

A transferência de curso é um processo exclusivo para estudantes já matriculados em uma graduação e que, por determinados motivos, desejam trocar de área de estudo. O recurso é vantajoso porque permite que pessoas indecisas com o curso escolhido tenham a oportunidade de acessar outra faculdade sem precisar realizar um novo vestibular.

Hoje, existem duas modalidades de transferência: interna e externa, sendo que ambas oferecem vantagens a quem busca uma nova chance para se manter na universidade. Saiba mais sobre cada uma:

Transferência interna

Também chamada de reopção de curso, a transferência interna é aquela que ocorre entre cursos de uma mesma instituição. Nessa modalidade, o estudante matriculado pode trocar seu curso atual por outro contido na mesma área de conhecimento ou de uma área distinta.

Para que a transferência interna ocorra, é necessário que o curso escolhido pelo estudante esteja com vagas sobrando. Tal condição pode ocorrer por motivos de abandono de outros alunos, cancelamento de matrícula ou jubilamento.

Nesse sentido, é importante que o interessado fique atento e acompanhe o calendário da instituição para saber quando será aberto o processo de transferência interna. Além disso, é preciso conferir os editais para não esquecer de nenhum detalhe ou documentação que permita concorrer à vaga desejada.

Destaca-se, ainda, que algumas instituições só possibilitam, a cada aluno, uma única chance para fazer a transferência interna. Desta forma, se o interessado quiser trocar de curso pela segunda vez, deverá realizar um novo processo seletivo para ingresso na faculdade escolhida.

Transferência externa

Também chamada de transferência voluntária, a modalidade externa é aquela que ocorre entre cursos de instituições diferentes. Dessa forma, o aluno pode sair de uma faculdade federal para estudar em uma faculdade privada, de uma estadual para a federal, de uma privada para outra privada, entre outras possibilidades.

Da mesma forma que ocorre na modalidade interna, a garantia de ingresso em um novo curso depende da oferta de vagas no momento do pedido.

Além disso, o estudante interessado terá seu histórico acadêmico analisado pela outra faculdade e, dependendo da instituição escolhida, será convocado a realizar uma prova.

Algumas faculdades ainda exigem que, para ser transferido, o aluno já tenha cursado uma quantidade mínima de horas-aula. Sabendo disso, é fundamental que o interessado procure informações mais detalhadas sobre as regras estipuladas pela instituição de ensino escolhida para a transferência, bem como fique de olho nas datas do calendário acadêmico para não perder o prazo de inscrição.

Quem pode solicitar a transferência de curso?

A transferência de curso, seja ela na modalidade interna ou externa, pode ser solicitada por qualquer estudante já matriculado em uma graduação. O pedido e inscrição podem ser realizados independentemente do motivo que levou o aluno a fazer esta escolha. No entanto, como verificado no exemplo da transferência interna, algumas instituições estabelecem certas limitações para esse processo.

Em todos os casos, é essencial que o aluno interessado em realizar a transferência de curso se mantenha informado com relação às normas, editais, datas e definições específicas de cada instituição.

Além disso, existem alguns fatores que podem se conformar em diferenciais para aumentar a chance de ingresso do aluno. Entre eles, podemos citar o histórico escolar, que, em ambas as modalidades, costuma ser um item de peso na avaliação do desempenho e comportamento do estudante.

Ainda, a garantia de um número mínimo de horas cursadas na primeira faculdade matriculada pode ser fator de desempate na concorrência por uma vaga na transferência de curso. Inclusive, algumas instituições só permitem a transferência mediante a conclusão de uma carga horária mínima.

Nesse sentido, é importante que todo estudante motivado a trocar de área de estudo se dedique para manter um bom desempenho e assiduidade na rotina acadêmica. Tal comportamento pode ser determinante para a conquista da vaga pretendida.

Aqui, vale destacar que os estudantes que realizam a graduação mediante financiamento estudantil ou com bolsa do Prouni também podem realizar uma transferência de curso, inclusive sem o risco de perder o benefício. Para isso, é importante que as regras específicas desses processos sejam verificadas pelo aluno antes de qualquer decisão, a fim de garantir uma transferência tranquila e segura.

Modalidade EAD também oferece a opção

Hoje, diversas graduações da modalidade de ensino a distância (EAD) também permitem que o estudante faça a transferência do curso, seja ela interna ou externa. Dessa forma, o interessado pode migrar para uma área diferente dentro da própria instituição ou até mesmo em outra faculdade.

Vale destacar que, nesse caso, as transferências externas não precisam ocorrer somente entre 2 cursos de modalidade a distância. Ou seja, é permitido que o aluno da graduação EAD se matricule em um curso presencial de seu interesse.

Essa flexibilidade na escolha entre cursos de modalidades e instituições diferentes amplia ainda mais o leque de oportunidades para aquelas pessoas que não têm certeza sobre a carreira a ser seguida.

Da mesma forma que nos cursos de modalidade presencial, a solicitação do recurso da transferência deve ser feita após a verificação das regras e normas contidas nos editais de cada instituição, bem como demanda que o estudante entregue toda a documentação solicitada no momento da inscrição.

Agora que você já sabe como fazer a transferência de curso, tire um tempo para refletir sobre as variadas possibilidades e, assim, garantir a melhor escolha para sua carreira.

Tem alguma dúvida sobre outro assunto da faculdade? Comente! Confira também as oportunidades oferecidas pela Una Virtual!

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário