o-que-e-preciso-fazer-para-a-obtencao-de-novo-titulo.jpeg

De fato, o mercado anda cada vez mais exigente. Hoje a concorrência e a escalada da profissionalização de muitas áreas demandam um aperfeiçoamento constante dos trabalhadores. Não é à toa que muitos buscam melhorar as oportunidades com mais de uma graduação.

Mas você sabe o que fazer para a obtenção de novo título? Bem, em primeiro lugar, é importante que você fique informado o quanto antes: para a maior parte das instituições, não é preciso fazer um novo vestibular.

Ser dispensado dessa temida prova pode até soar como um alívio a quem já passou da fase de vestibulando, e nem se lembra mais de toda a matéria do Ensino Médio. Afinal, se você já tem um diploma em mãos, esta etapa do vestibular já foi cumprida com sucesso.

Agora, se tudo isso ainda é novidade para você, e você está interessado em cursar uma nova faculdade, fique atento e leia este material até o fim. Aqui, todas as suas dúvidas serão respondidas!

Como é o processo seletivo para obtenção de novo título?

Normalmente, as instituições de ensino oferecem um processo de ingresso especial para portadores de diploma, que pode ser o mesmo para transferências externas ou internas.

E esse processo varia bastante conforme a faculdade. Algumas exigem uma prova de conhecimentos específicos, ou uma entrevista; já para outras, basta a análise do currículo do candidato.

Quer mais? As instituições costumam facilitar a matrícula para uma segunda graduação, oferecendo descontos para os reingressantes. E, para alunos que cursaram a primeira graduação na própria instituição, os descontos podem ser ainda mais generosos.

Outra vantagem é a dispensa de disciplinas afins. Se o novo curso pelo qual você optou fazer for da mesma área do conhecimento daquele que você concluiu, certamente a duração da sua graduação será reduzida. Isso porque muitas matérias poderão ser eliminadas com o seu currículo.

Assim, há graduações de quatro anos que podem diminuir para apenas dois anos. É o caso de quem tem diploma de licenciatura, em qualquer área, e pretende se certificar em Pedagogia, por exemplo.

Por que buscar uma segunda graduação?

Há muitos motivos para se obter um novo título acadêmico. Em primeiro lugar — como vimos lá na introdução deste artigo — estão os profissionais preocupados em enriquecer o currículo para melhorar a competitividade ou alcançar cargos mais altos.

Além disso, o segundo diploma pode complementar o primeiro. Há bacharéis em Direito, por exemplo, que procuram cursos tecnológicos em Mediação ou Perito.

Ou, ainda, graduados em Psicologia que, por conta da área de atuação, podem se beneficiar muito na carreira ao cursarem Recursos Humanos. As combinações possíveis são bem variadas, e nem é preciso escolher exatamente um curso da mesma área do que você já cursou.

O fato é que não dá para negar que o mercado busca atualmente um perfil cada vez mais completo de profissionais. Ser polivalente, nesse sentido, só conta pontos a favor do seu currículo.

Por fim, existem ainda os que não se encontraram na primeira graduação e querem partir para outra carreira.

Nesses casos, buscar um novo caminho por meio de uma outra faculdade é praticamente obrigatório — o que não pode ser encarado como algo negativo, mas sim como uma nova chance de se encontrar profissionalmente.

Como cursar uma nova graduação trabalhando?

Se você já está inserido no mercado, cumprindo expediente todos os dias, a ideia de encarar mais uma vez os bancos da faculdade por um longo período não parece muito atrativa, né?

Pois é verdade: a falta de tempo por causa das extensas horas de trabalho está entre os fatores que mais afastam os graduados da obtenção de novo título. Mesmo que você se matricule em um curso noturno, pode ser muito cansativo encarar a jornada dupla.

Pensando nisso, uma solução bem prática é o ensino a distância. Por meio dele, cursar uma nova graduação se torna uma tarefa bem mais fácil, por contar com horários mais flexíveis, que se adaptam à rotina do aluno. Assim, você estuda quando pode, na hora que preferir.

Além de tudo, no EAD a graduação é mais objetiva e depende muito mais do seu comprometimento do que do desempenho da turma. Nesse caso, a sua maturidade e autonomia para os estudos serão muito valorizadas.

Aliás, se esse fator também pesa muito para a sua decisão, a escolha fica ainda mais fácil. Afinal, não será preciso testar sua paciência em uma sala de aula com alunos bem mais jovens e cuja formação ainda está aquém da sua, que já tem um diploma superior.

Sem contar que você já sabe como gerenciar seus horários e se organizar para tirar o máximo proveito da faculdade.

E ainda existem mais vantagens ao optar pelo EAD para a sua segunda formação acadêmica: em algumas instituições, é possível receber uma nova certificação ainda durante o curso.

Pouca gente sabe, mas muitos cursos a distância são formatados por módulos, para facilitar a autonomia do estudante. Dessa forma, conforme completa cada módulo, o estudante recebe uma certificação intermediária.

Na prática, funciona assim: de acordo com as disciplinas que você já cursou, a faculdade pode emitir um certificado de que você já está qualificado para exercer determinadas funções no mercado, cumprindo a regulamentação do Código Brasileiros de Ocupações.

Cursando uma graduação de gestão, por exemplo, é possível receber uma certificação de analista de folha de pagamento, mesmo tendo feito poucas disciplinas.

Sem dúvida, isso ajuda ainda mais na potencialização do seu currículo — porque, ao fim do curso, além de mais um diploma superior, você terá ainda várias outras certificações intermediárias.

E aí, gostou do que viu até agora e já está com vontade de fazer sua inscrição? Então só falta a lista de documentos normalmente exigidos para a segunda graduação:

  • CPF;
  • documento oficial de identidade;
  • certidão de nascimento ou de casamento;
  • prova de quitação com o serviço militar, para os maiores de 18 anos do sexo masculino (certificado de reservista);
  • título de eleitor e comprovante de quitação com as obrigações eleitorais;
  • comprovante de residência atualizado;
  • comprovante de pagamento da taxa de inscrição;
  • histórico escolar da instituição de origem com notas e carga horária;
  • conteúdo programático das disciplinas cursadas, com autenticação da instituição de origem;
  • histórico escolar de conclusão do Ensino Médio;
  • diploma de graduação reconhecido pelo MEC.

Pronto! Agora não falta mais nada. Basta entre em contato com a equipe da UNA Virtual e fazer a sua inscrição para a obtenção de novo título!

 

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário