faculdade-a-distancia-entenda-todo-o-processo-de-aprendizagem.jpeg

Você é daquelas pessoas que morre de vontade de estudar, mas tem uma vida tão corrida que frequentar um curso parece uma missão impossível? Um dia a dia maluco, com vários trabalhos diferentes e filhos para cuidar podem até ser empecilhos para você começar uma faculdade presencial, mas você já parou para pensar na possibilidade de uma faculdade a distância?

O ensino a distância pode trazer os mesmos resultados obtidos em um curso presencial, mas com a vantagem de você poder organizar seus próprios horários. Ou seja, os estudos podem ser conciliados com uma rotina corrida, uma vez que quem definirá os melhores momentos para encarar leituras e exercícios é você.

E é sobre o funcionamento da faculdade a distância que vamos falar neste post! Você vai conhecer um pouco mais sobre essa modalidade de ensino e decidir se é uma boa opção para você, que não tem tempo para seguir um curso profissional. Confira!

1. A demanda do público pelo ensino a distância

A característica principal da educação a distância, de acordo com a Associação Brasileira de Ensino a Distância (ABED), é oferecer cursos em que, pelo menos, 70% do conteúdo é desenvolvido sem o contato físico entre professor e aluno.

Hoje em dia, o jeito mais comum de interação e troca de conteúdo é a internet. É pelo espaço virtual que professor e aluno interagem. Isso faz com que o estudante possa definir os horários mais tranquilos de entrar nas plataformas e criar uma rotina de estudos que lhe é mais favorável.

Qualquer aluno pode ingressar em uma faculdade a distância. No caso da graduação, o único requisito é o diploma do Ensino Médio e um computador para acessar o conteúdo das aulas e fazer os exercícios propostos pelo professor.

Devido a todas essas facilidades, a procura pelo ensino a distância é cada vez maior. De acordo com dados do Ministério da Educação (MEC), as matrículas no ensino a distância aumentaram de 49.911 alunos, em 2003, para 1.153.572, em 2013, dez anos depois. 

Com o aumento da demanda, cresce também o número de cursos na modalidade de ensino a distância. A qualidade das aulas também melhora cada vez mais e, assim, se forma um ciclo: aumentam os cursos e a qualidade deles, assim como o número de pessoas que procuram por esse tipo de ensino.

Afinal, cursos de graduação, pós-graduação e especialização devem se adaptar também à rotina corrida da maior parte dos brasileiros, que trabalha muito e tem vontade de avançar nos estudos.

2. As aulas na graduação

Se o que você deseja é começar uma graduação pela modalidade de EAD, a forma de ingresso varia de universidade para universidade. Pode ser por:

  • Programa Universidade para Todos (ProUni);
  • Desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM);
  • Vestibular tradicional;
  • Vestibular agendado.

Uma vez iniciada a graduação, é bom saber também com funcionam as aulas, não é mesmo? Cada instituição desenvolve uma plataforma de ensino a distância e todos os novos alunos recebem um login e uma senha de acesso a ela.

A maioria das aulas acontece nesse espaço virtual da faculdade e a tecnologia é a principal aliada. Ela possibilita diferentes meios de interação do aluno com o conteúdo, de forma que o estudo a distância não seja monótono.

A comunicação entre alunos, entre alunos e professores e a disponibilização de conteúdo pode ser, por exemplo, por e-mail, telefone, vídeos, videoconferências, fóruns, ambientes virtuais de aprendizagem, textos e imagens em PDF e por aí vai.

Apesar de a carga horária ser majoritariamente virtual, a legislação brasileira exige alguns encontros presenciais. O Decreto Nº 5.622, de 2005, determina a obrigatoriedade de momentos presenciais para:

  • avaliações de estudantes;
  • estágios obrigatórios, quando previstos na legislação pertinente;
  • defesa de trabalhos de conclusão de curso, quando previstos na legislação pertinente;
  • atividades relacionadas a laboratórios de ensino, quando for o caso.

3. Os cursos na modalidade de especialização

Em relação aos cursos superiores, a legislação brasileira permite que instituições de pesquisa científica e tecnológica, públicas ou privadas, ofereçam cursos ou programas a distância de:

  • especialização;
  • mestrado;
  • doutorado;
  • educação profissional tecnológica de pós-graduação.

O curso de especialização é uma pós-graduação lato sensu, que capacita o profissional para atuar em uma área específica do mercado de trabalho. Ao contrário da graduação, que é mais generalista, a especialização tem como foco o desenvolvimento de habilidades técnicas específicas de determinada profissão.

A duração média é de um a dois anos. A exigência do MEC é que esses cursos tenham, no mínimo, 360 horas/aula. Nos momentos finais da especialização, o aluno precisa desenvolver um trabalho de conclusão de curso e apresentá-lo presencialmente, na maioria dos casos.

Ao final, você receberá um certificado e carregará o título de especialista.

4. A preparação das instituições de ensino

O ensino a distância requer uma preparação por parte das instituições de ensino diferente dos cursos presenciais. O primeiro passo é escolher a melhor plataforma de interação virtual entre aluno e professor, com os recursos que mais se encaixam na proposta de ensino.

Além disso, é importante também capacitar os professores para essa nova modalidade de ensino. Afinal, o ambiente virtual é bem diferente de uma aula presencial. A proposta de atividades e a forma como o conteúdo é disponibilizado, por exemplo, devem levar em consideração a forma diferente dos alunos seguirem o curso.

De acordo com o Decreto Nº 5.622, de 2005, para se credenciarem na educação a distância, as instituições de ensino devem cumprir os seguintes requisitos:

I – habilitação jurídica, regularidade fiscal e capacidade econômico-financeira, conforme dispõe a legislação em vigor;

II – histórico de funcionamento da instituição de ensino, quando for o caso;

III – plano de desenvolvimento escolar, para as instituições de educação básica, que contemple a oferta, a distância, de cursos profissionais de nível médio e para jovens e adultos;

IV – plano de desenvolvimento institucional, para as instituições de educação superior, que contemple a oferta de cursos e programas a distância;

V – estatuto da universidade ou centro universitário, ou regimento da instituição isolada de educação superior;

VI – projeto pedagógico para os cursos e programas que serão ofertados na modalidade a distância;

VII – garantia de corpo técnico e administrativo qualificado;

VIII – apresentar corpo docente com as qualificações exigidas na legislação em vigor e, preferencialmente, com formação para o trabalho com educação a distância;

IX – apresentar, quando for o caso, os termos de convênios e de acordos de cooperação celebrados entre instituições brasileiras e suas cossignatárias estrangeiras, para oferta de cursos ou programas a distância;

 X – descrição detalhada dos serviços de suporte e infraestrutura adequados à realização do projeto pedagógico, relativamente a:

        a) instalações físicas e infraestrutura tecnológica de suporte e atendimento remoto aos estudantes e professores;

        b) laboratórios científicos, quando for o caso;

        c) polo de apoio presencial é a unidade operacional, no País ou no exterior, para o desenvolvimento descentralizado de atividades pedagógicas e administrativas relativas aos cursos e programas ofertados a distância

        d) bibliotecas adequadas, inclusive com acervo eletrônico remoto e acesso por meio de redes de comunicação e sistemas de informação, com regime de funcionamento e atendimento adequados aos estudantes de educação a distância.

5. A tecnologia utilizada para trocar informações

A tecnologia pode ser considerada a ferramenta principal para a educação a distância, afinal, é ela que garante toda a interação virtual que um curso não presencial necessita. As trocas de informações e conteúdos dependem da tecnologia empregada no ambiente virtual das aulas. Ou seja, faz a mediação do processo de ensino e aprendizagem.

O básico é um bom sinal de internet, que permita o carregamento de vídeos com agilidade. É importante também que a plataforma escolhida pela instituição de ensino não seja “pesada” e não demore para carregar o conteúdo.

E como a interatividade é a palavra-chave do ensino a distância, a tecnologia é o que permite a participação ativa dos alunos, mesmo a distância. A colaboração e a produção conjunta de alunos e professores e entre alunos só é possível devido ao uso estratégico da tecnologia.

A seguir, vamos falar um pouquinho sobre as principais formas em que a tecnologia é utilizada como estratégia de interação em cursos de educação a distância.

5.1 As videoaulas disponibilizadas online

As videoaulas estão presentes em praticamente todos os cursos oferecidos na modalidade a distância. São também os momentos que mais aproximam um curso online de um curso presencial.

As videoaulas podem ser ao vivo ou gravadas previamente pelo professores, permitindo que o aluno as acesse quando tiver disponibilidade, por meio do ambiente virtual. Nas videoaulas, os professores e instrutores explicam o conteúdo didático que preparam.

É comum também que, enquanto o professor explica, figuras e imagens relacionadas com o assunto apareçam na tela. Tudo isso para deixar a aula mais dinâmica e facilitar a fixação do conteúdo.

As aulas são todas pensadas para o formato online, levando em consideração que os alunos podem ter trabalhado o dia inteiro antes de assisti-las. Dessa forma, os conteúdos são repassados de maneira mais dinâmica e de forma que prenda a atenção — mesmo daquelas pessoas já cansadas por causa da rotina corrida.

Para que as videoaulas rendam ainda mais para você, é importante seguir algumas dicas:

  • Anote os pontos principais dos vídeos;
  • Pratique o que aprendeu para fixar melhor o conteúdo;
  • Não fique com outras abas abertas enquanto assiste aos vídeos, elas podem tirar sua concentração. Tenha foco!;
  • Anote as dúvidas para esclarecê-las com o professor.

5.2 O conteúdo complementar disponível

Assim como em cursos presenciais, não tem como os professores esgotarem um conteúdo apenas dando aulas. Por isso, a importância de disponibilizar conteúdos complementares.

Os materiais didáticos complementares às videoaulas variam entre cada instituição. Eles podem vir , por exemplo, em forma de apostilas impressas ou digitais. Além disso, os professores podem indicar livros, artigos e até mesmo outros vídeos como forma de enriquecer o que foi aprendido nas aulas.

Não importa muito o formato em que o conteúdo complementar é disponibilizado aos alunos. O que conta mesmo é se ele é claro, objetivo e capaz de aprofundar os assuntos e termas que já foram discutidos.

5.3 O fórum de discussão como parte essencial

Uma das principais funções dos fóruns de discussão é tirar o aluno da posição passiva de aprendizagem, aquela em que ele só recebe o conteúdo e pronto. Os fóruns são espaços colaborativos e de discussões, que ajudam na aquisição de conhecimento e no desenvolvimento dos conteúdos. A linguagem utilizada pode ser visual, textual ou audiovisual.

Os fóruns favorecem o diálogo e a troca de informações importantes para a produção do saber. Nesse contexto, esses espaços de discussões favorecem a aprendizagem colaborativa, uma vez que encorajam o debate de ideias, com troca de opiniões e experiências, além da construção de saberes e a possibilidade de reflexão sobre as mensagens postadas pelos integrantes.

As discussões costumam ser livres, podendo qualquer pessoa expressar sua opinião sobre determinado tema — claro, sempre com respeito ao outro. Porém, o professor tem um papel fundamental de mediar os debates. Ele deve intervir quando a discussão fica mais fraca, com poucas pessoas participando, ou quando surgir algum tipo de dúvida que ele pode esclarecer.

Além disso, o fórum pode também ser utilizado como uma ferramenta de avaliação. Nos cursos presenciais, é comum serem distribuídos pontos de participação nas aulas, não é mesmo? Então, o fórum pode fazer esse papel ao ser o ambiente mais propício à participação dos alunos do ensino a distância.

Eles podem ser organizados de diferentes maneiras. Isso varia de acordo com a plataforma virtual adotada pela instituição de ensino e também com a proposta pedagógica. As configurações mais comuns são:

  • Fórum geral: livre criação de tópicos para discussões. Todo mundo pode participar e ver todo o conteúdo postado, sem restrições;
  • Fórum de notícias: apenas o professor pode postar assuntos pontuais, como avisos e notícias;
  • Fórum de perguntas e respostas: uma espécie de atividade em que o professor cria perguntas para os alunos responderem em um prazo determinado;
  • Discussão simples: alunos e professores podem criar um tópico de discussão específico sobre um único tema.

5.4 A entrega das atividades

Se nos cursos presenciais sempre tem aquele professor que tolera algum atraso na entrega das atividades, no EAD a coisa é bem diferente. Pode ir se preparando!

Como o meio virtual é o que predomina, normalmente, o professor estabelece um prazo para entrega de trabalhos e atividades online. Assim que o prazo acaba, a plataforma de ensino a distância fecha e para de receber as atividades dos alunos. Ou seja, você não poderá atrasar nem um segundo sequer.

Claro que nem tudo é tão decisivo assim. Caso você perca o prazo e não consiga enviar o trabalho pelo sistema virtual, a saída é mandar um e-mail para o professor pedindo para entregar diretamente para ele. Mas saiba que esse tipo de coisa é exceção e o professor não tem obrigação nenhuma de aceitar.

Então, para não ter problemas com a entrega das atividades, é bem importante você se organizar. Não vá começar a fazer a atividade em cima da hora! Ou você perderá o prazo ou entregará algo de qualquer jeito.

5.5 A realização das provas presenciais

Como já falamos, a legislação brasileira exige a realização de provas presenciais periódicas também na modalidade de ensino a distância. E como em qualquer outro curso, se você não atingir a média é reprovado e tem que repetir a matéria em outro momento.

Quando o assunto é a forma de avaliação, cada instituição de ensino pode escolher a que considera mais eficiente. O mais comum são provas dissertativas para avaliar se o aluno conseguiu apreender o conteúdo.

Mas independentemente do tipo de prova, há sempre uma preocupação em elaborar algo que seja coerente com a matéria das aulas de EAD. Então, não se preocupe, você não será pego de surpresa com questões mirabolantes quando for fazer a prova presencial!

Para não ter problema com as provas presenciais, é importante também que você saiba onde estão e como são os polos de apoio da instituição de ensino, que são locais físicos, como se fossem uma extensão do curso a distância. Geralmente, é lá que ocorrem as provas.

Além de sediarem as atividades e provas presenciais, os polos de apoio precisam ter um padrão de infraestrutura para funcionarem como um suporte completo para os alunos. As características básicas são biblioteca, laboratório com internet, salas de estudo e área administrativa.

5.6 A interação entre alunos e professores

A interação entre alunos e professoras na modalidade EAD é mediada pelas redes virtuais, possibilitada pela internet. E a eficácia da faculdade a distância depende exatamente da qualidade dessa interação.

Porém, mesmo que a tecnologia e os diversos recursos das plataformas virtuais possibilitem uma série de maneiras diferentes de interação, o professora continua sendo peça fundamental nesse processo. É ele que vai garantir a qualidade da interação.

Os professores precisam ser bons observadores da rotina e dos hábitos dos alunos no ambiente virtual. Eles precisam identificar o que os alunos costumam perguntar, tanto em conversas individuais quanto nos fóruns coletivos, por exemplo. Além de analisarem quais temas geram mais dúvidas e discussões.

Com toda essa análise da dinâmica da interação do ambiente virtual, o professor se torna capaz de preparar melhor o material didático que será utilizado no curso. A programação das aulas também pode ser alteradas de acordo com a dinâmica da interação.

Como em um primeiro momento do curso ninguém se conhece e o contato é apenas virtual, é comum modificações e tomadas de decisão acontecerem ao longo do processo. É a partir da dinâmica da interação que o professor escolhe as estratégias e as intervenções pedagógicas mais adequadas para a turma.

Para ter mais sucesso na condução de cursos a distância, os professores devem se atentar para alguns aspectos:

  • Tornar o ambiente virtual mais familiar, aprendendo o nome dos alunos e criando relações entre eles e com eles;
  • Sempre incentivar o diálogo e as trocas de experiências e informações, por meio de atividades e discussões coletivas;
  • Buscar o feedback dos alunos sobre o processo de aprendizagem, incorporando sugestões;
  • Ter como foco a clareza das mensagens, sem as tornar impessoais.

6. A importância da escolha da universidade

O primeiro passo indispensável para escolher uma universidade EAD é procurar aquelas que estão cadastradas no MEC. Afinal, você não quer finalizar um curso e não ter seu diploma reconhecido, não é mesmo?

Aliás, o MEC é uma importante fonte de pesquisa no início da sua busca por cursos a distância. Você também pode consultar a nota que as instituições de ensino obtiveram nas avaliações do órgão.

Depois de toda essa pesquisa no portal de educação do Governo Federal, a busca pela universidade ideal deve passar por sua rotina, expectativas e interesses de estudo. Abaixo, listamos alguns aspectos que você deve levar e consideração:

  • Confira o currículo dos professores: analise a formação e a reputação do corpo docente. Se possível, assista a algumas aulas para saber se você se identifica;
  • Pesquisa sobre a reputação da instituição: use a internet para ter acesso às opiniões de alunos e ex-alunos sobre a faculdade a distância onde pretende começar seus estudos. Saber como são as aulas e se os canais de comunicação e interação são eficientes é fundamental;
  • Analise a proposta pedagógica e a grade curricular: por mais que a faculdade seja conceituada, você pode não se alinhar com a proposta de ensino que ela oferece. Por isso, dar uma olhada nas disciplinas e propostas de atividades é importante;
  • Visite o polo de apoio da instituição: toda instituição que oferece cursos a distância tem um polo de apoio. Primeiro, você deve observar se existe um na sua cidade ou em algum lugar de fácil acesso. Depois, você precisa conhecer a infraestrutura para saber se te atende bem.

Percebeu como uma faculdade a distância tem a mesma qualidade de um ensino presencial, com a vantagem da flexibilidade? No EAD, você faz seus horários, levando em consideração os dias e turnos menos corridos na sua rotina.

Se você quiser saber um pouco mais sobre como funciona uma faculdade a distância, entre em contato conosco! Poderemos te dar mais informações sobre os cursos que oferecemos nessa modalidade.

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário