ensino-a-distancia-por-que-voce-precisa-ter-ensino-superior.jpeg

Diante de um mercado de trabalho cada vez mais exigente e em constante transformação, é fácil compreender que a manutenção da empregabilidade e a conquista de novas oportunidades de crescimento estão diretamente relacionadas a uma formação sólida.

Também é preciso lembrar que os cursos de graduação trazem mais benefícios do que os cursos técnicos, pois são capazes de promover uma enorme evolução no desempenho do profissional — que passa a ter o conhecimento necessário para assumir funções mais complexas e, claro, mais bem remuneradas.

Além disso, é importante compreender que o rápido avanço da tecnologia modificou vários hábitos da sociedade e, consequentemente, proporcionou o surgimento de novas demandas. Por isso, a especialização se tornou indispensável.

De fato, a ascensão profissional depende do desenvolvimento de competências técnicas, gerenciais e comportamentais essenciais para a composição de um perfil mais completo e competente. E, em tempos de crise, o curso superior passa a ser um grande diferencial competitivo, já que os profissionais graduados continuam sendo mais valorizados pelos recrutadores.

Considerando todas as dificuldades, a conclusão do ensino superior demonstra algumas características pessoais importantes, como determinação, comprometimento, planejamento e capacidade de superação. E essas são características marcantes dos profissionais de sucesso.

Quer saber por que você você precisa ter ensino superior? Está curioso para descobrir se vale a pena investir no ensino a distância (EAD)? Veja as respostas para essas e outras perguntas a seguir:

Por que a formação superior é tão importante?

Atualmente, o conhecimento adquirido por meio de curso superior é um pré-requisito para muitos empregadores e, também, fundamental para a preparação dos futuros empreendedores.

A graduação é muito apreciada pelo mercado, já que é um claro sinal de que o profissional compreende a importância do aprendizado contínuo e que está realmente empenhado em aperfeiçoar a sua performance individual.

O curso superior multiplica as chances desse profissional conquistar novos cargos, promoções e até mesmo um aumento de salarial. Essas portas se abrem porque as políticas de remuneração de grande parte das empresas estão apoiadas em critérios que envolvem níveis de especialização e de senioridade. Além disso, o conhecimento conquistado durante o curso, permite que o profissional exerça novos funções, mais específicas, relevantes e prestigiadas.

Na verdade, a graduação produz muitos efeitos positivos, pois faz com que o profissional:

  • saia da sua zona de conforto;

  • expanda os seus horizontes;

  • trabalhe o seu pensamento e a sua criatividade;

  • se interesse pela pesquisa;

  • aprimore a capacidade de construir relacionamento interpessoais.

Assim sendo, a graduação se torna essencial para a formação de cidadãos mais questionadores e capazes de compreender o mundo, bem como os seus direitos e os seus deveres.

Porém, é preciso frisar que o diploma, por si só, não garante um desempenho extraordinário. Todo o conhecimento absorvido na graduação só tem alguma relevância se for aplicado corretamente no dia a dia, de modo a gerar ótimos resultados para a empresa.

Em linhas gerais, o curso superior cria condições para que o profissional passe a atuar com mais competência e excelência. E, assim, é fundamental transformar a teoria em prática, trabalhando ativamente para a otimização de processos, a superação das metas, a redução de custos e para a evolução dos indicadores.

Para tanto, também é necessário adotar posturas que contribuam para o aprendizado contínuo. Dentre essas posturas estão:

  • a leitura;

  • o estudo;

  • o compartilhamento de informações;

  • e o desenvolvimento de competências comportamentais — como inteligência emocional, poder de persuasão, resiliência, empatia, humildade e potencial de liderança.

Isso tudo sem esquecer, é claro, da ética, da honestidade e da firmeza de propósito. Desta maneira, é possível formar um profissional mais versado, que engloba condutas e conhecimentos bastante exigidos na rotina de todas as empresas.

O que as pessoas aprendem na faculdade?

Diversas habilidades são desenvolvidas durante a realização do curso superior. A faculdade é uma importante etapa da vida do profissional, não apenas pelo conteúdo teórico e prático oferecido mas também por propiciar diversas experiências, essenciais para o crescimento e amadurecimento dos alunos.

Conhecimentos técnicos

O curso superior faz com que o profissional se torne um especialista em uma determinada área. Essa especialização é sempre bem-vinda, e se torna imprescindível quando há escassez de oportunidades no mercado. Afinal, por meio da graduação, é mais fácil melhorar o rendimento geral e, assim, conquistar uma recolocação, um novo emprego ou mesmo uma transição para uma nova carreira.

No ambiente empreendedor, o curso superior também tem imensa importância. De fato, os cursos com foco em gestão empresarial são determinantes para a capacitação e para a atualização dos empresários.

Informações aprofundadas sobre os conceitos de administração, finanças, vendas e pós-vendas, produção, logística, marketing e recursos humanos são fundamentais para a elaboração de um plano de negócios seguro e, também, para uma gestão eficiente de uma nova empresa ou de uma startup.

Habilidades socioculturais

Além dos conhecimentos técnicos, as habilidades socioculturais também são muito requisitadas no cotidiano do universo corporativo. Entre as principais estão:

  • o poder de decisão;

  • o trabalho em equipe;

  • a proatividade;

  • a disciplina;

  • e a organização.

Ao mesmo tempo, o convívio direto com diferentes perfis garante um excelente exercício de cidadania, colaboração, paciência e respeito às diferenças.

Vale lembrar que essas diferenças podem ser muito abrangentes, envolvendo, inclusive, ideologias religiosas e políticas. Assim, as salas de aula e os grupos de estudo passam a ser laboratórios nos quais as competências comportamentais são fortemente trabalhadas.

Nessas condições, é preciso assumir uma postura conciliadora. A negociação, o senso de complementariedade, a mediação de conflitos, a comunicação e o comprometimento com os resultados coletivos são mais algumas habilidades desenvolvidas durante o curso superior.

Outro aspecto a ser considerado é que as dificuldades, as falhas, as incertezas e as pressões garantem uma bagagem emocional importante para o aprimoramento do profissional, uma vez que simulam o clima encontrado em boa parte das empresas. Paralelamente, e os laços de amizade construídos ao longo do curso superior reforçam questões como a cooperação, a ajuda mútua e a solidariedade.

O networking é mais uma habilidade social exercitada na faculdade, já que esse é um cenário perfeito para a ampliação da rede de contato. Assim sendo, o estudante tem a chance de absorver novos conhecimentos, descobrir talentos, compartilhar experiências e participar de fóruns que possam agregar valor ao seu currículo.

Por meio dessas habilidades, o profissional consegue construir uma boa reputação, estabelecendo alianças e conquistando destaque entre colegas e professores. Desse modo, passa a contar também com o apoio dos membros da rede na busca por novas oportunidades no mercado.

Diversas faculdades já implementaram iniciativas destinado ao desenvolvimento das habilidades socioculturais dos seus alunos: os programas de incentivo ao voluntariado e ao empreendedorismo universitário, os intercâmbios, o ensino multidisciplinar, a pesquisa científica, as aceleradoras e as incubadoras de negócios são apenas alguns exemplos de atividades extracurriculares que estimulam a convivência e o aprendizado e que asseguram uma boa formação acadêmica e profissional.

Autoconhecimento

Durante o curso superior, o aluno também é capaz de trabalhar o autoconhecimento. Aliás, esse processo de descoberta deve ter início antes mesmo da faculdade, ou seja, precisa fazer parte da fase de escolha da profissão.

E esse entendimento é fundamental para que o estudante reconheça as próprias preferências, inclinações, interesses, motivações e, principalmente, deficiências. E diante de tantas experiências diferentes é mais fácil perceber quais são os itens a precisam serem aprimorados.

Além disso, você também deve aproveitar o contato com professores e colegas para solicitar feedbacks. Afinal, para ter uma carreira promissora, é essencial compreender quais são as impressões deixadas no grupo de trabalho. Nesse caso, aspectos como a linguagem corporal, a capacidade de expressão e o individualismo podem fazer uma enorme diferença.

Por meio dessa análise, é possível ter uma visão mais objetiva e contundente sobre as suas capacidades e as suas limitações. E, assim, é mais fácil planejar ações destinadas ao aperfeiçoamento pessoal — que podem incluir desde cursos de idiomas até o coaching.

Como escolher a profissão ideal para você?

A escolha da profissão é sempre um momento delicado e, por isso, deve estar sustentada por uma avaliação completa, incluindo vocações e ambições. Mas é preciso verificar também todos os cursos disponíveis, bem como a realidade e as tendências do mercado.

Confira, a seguir, algumas dicas importantes para encontrar a profissão ideal:

Estude a sua personalidade

O primeiro passo para uma tomada de decisão acertada é sempre o autoconhecimento. Por isso, é preciso identificar as próprias motivações, prioridades, características e perspectivas para o futuro.

Além disso, é necessário observar a predisposição para determinados assuntos e disciplinas, pois essa preferência costuma indicar o modelo mental do profissional e, consequentemente, a aptidão para algumas áreas de atuação.

Conheça o mercado

Outro ponto a ser considerado é a realidade do mercado atual e as tendências a curto, médio e longo prazos para cada uma das profissões almejadas. Nesse caso, a recomendação é pesquisar bastante e utilizar fontes confiáveis de informação.

Também é preciso analisar a oferta de vagas por meio dos principais sites de emprego. Dessa maneira, é mais fácil perceber as demandas regionais e identificar quais são os conhecimentos complementares mais requisitados pelos empregadores.

Faça testes vocacionais

Os testes vocacionais são muito úteis para confirmar a escolha de uma profissão, pois eles mapeiam habilidades, predileções e restrições. Muitas escolas e universidades já oferecem esse serviço gratuitamente mas também é possível encontrar, na internet, versões simplificadas dos testes.

Analise o conteúdo programático dos cursos

Depois de selecionar alguns cursos, é preciso analisar os respectivos conteúdos programáticos, observando também a carga horária e as disciplinas que compõe a grade curricular. Desse modo, o aluno consegue perceber se aquela graduação tem um enfoque mais generalista ou especialista.

Compare a rotina de trabalho dos profissionais já formados

Para garantir que não haja decepções, o estudante deve conhecer e comparar a rotina de trabalho dos profissionais formados nas áreas pretendidas. Essa avaliação precisa abranger as responsabilidades e as opções de mercado, de modo a evitar a glamorização das carreiras.

Alguns cursos superiores permitem atuações distintas em diversos setores. Um engenheiro, por exemplo, pode exercer diferentes funções na indústria, no serviço público e até mesmo em instituições financeiras, analisando a viabilidade de projetos e autorizando a concessão de empréstimos para outras empresas.

E sempre há a possibilidade de se tornar um empreendedor e gerenciar o seu próprio negócio. Por isso, é muito importante compreender todas as possibilidades que cercam cada profissão.

Pesquise as particularidades

Além de conhecer e comparar a rotina de trabalho, o estudante deve aprofundar a pesquisa e coletar informações sobre as principais dificuldades do segmento, a média salarial, as regiões mais saturadas e as competências técnicas e comportamentais mais requisitadas pelos recrutadores.

Nesse caso, o LinkedIn pode ser um importante recurso, já que nessa rede social — dedicada a empresas e profissionais — é possível ter acesso a diversos artigos, acompanhar executivos consagrados, participar de debates e ampliar o networking. Dessa forma, o estudante troca informações com profissionais de várias áreas de atuação.

Avalie a instituição de ensino

Antes da escolha definitiva, vários outros fatores diretamente relacionados à instituição de ensino devem ser avaliados: a reputação perante o mercado, as notas dadas pelo MEC, o corpo docente e o valor das mensalidades precisam ser ponderados.

Além disso, no quesito infraestrutura, devem ser observados os canais de comunicação com os professores, os equipamentos, os recursos tecnológicos, as plataformas online e as opções de ensino a distância (EAD), por exemplo.

Além disso, é importante analisar os diferenciais da instituição, tais como programas de inserção dos alunos no mercado de trabalho, financiamento estudantil e bolsas de estudo.

Ensino a distância: quais são as vantagens do EAD?

A falta de cursos presenciais em determinadas localidades, o trânsito caótico dos centros urbanos e a precariedade do transporte coletivo são apenas alguns dos complicadores enfrentados por quem quer investir na carreira. Nesse contexto, o EAD surgiu com a finalidade de permitir o acesso de todos à educação e, por isso, o ensino a distância vem ganhando espaço entre os profissionais, pois oferece uma série de facilidades.

Conheça as principais vantagens do EAD:

Flexibilidade

Os cursos EAD oferecem mais flexibilidade e, desse modo, o aluno é capaz de conciliar os estudos com outras tarefas e compromissos. Profissionais que trabalham em jornadas variáveis ou que precisam viajar com frequência conseguem se organizar e definir uma agenda adaptada à essa realidade, sem a necessidade de comparecer diariamente à faculdade. Como o conteúdo está sempre disponível, cada estudante pode encontrar o seu ritmo, conforme as exigências do curso.

Comodidade

No modelo de ensino a distância, o aluno define onde e quando estudar. Por meio do acesso à plataforma on-line, qualquer lugar se transforma em uma sala de aula.

Igualdade de condições

A graduação EAD oferece a mesma qualidade de ensino para todos os estudantes, independentemente de questões sociais e geográficas. Assim, é possível nivelar as oportunidades de aprendizado e fomentar a igualdade de condições.

Economia

Os cursos no formato de ensino a distância costumam ser mais baratos do que os cursos presenciais, exatamente por estarem suportados por uma plataforma virtual — o que reduz os custos com infraestrutura e manutenção. Paralelamente, o aluno também economiza tempo e dinheiro com deslocamentos, fazendo com que a relação custo-benefício do formato EAD seja ainda melhor.

Disponibilidade dos professores

O ambiente online oferece diversos meios de comunicação entre alunos e professores. As salas de bate-papo, os aplicativos, os e-mails e fóruns de discussão garantem mais agilidade no esclarecimento de dúvidas e na troca de informações.

Desenvolvimento de habilidades pessoais e profissionais

O formato EAD exige o desenvolvimento de habilidades pessoais e profissionais, como a capacidade de planejamento e execução, a disciplina em relação ao cumprimento de prazos, a determinação e a autonomia. E essas habilidades também colaboram para a formação de um perfil mais alinhado ao cotidiano das empresas.

Preparação para o mercado

Com as facilidades promovidas pelo ensino a distância, muito alunos conseguem superar todos os obstáculos e conquistam o seu diploma. Desse modo, estão mais preparados o atual mercado de trabalho, dinâmico e concorrido.

Existe diferença entre o diploma EAD e o tradicional?

Os cursos elaborados no formato de ensino a distância estão previstos na legislação brasileira e, assim sendo, os diplomas são reconhecidos legalmente, desde que tenham a aprovação do Ministério da Educação (MEC). Ou seja, não há diferença entre os diplomas obtidos por meio de um curso tradicional e de um curso EAD. Aliás, a informação sobre modalidade, presencial ou a distância, sequer consta no documento.

Entretanto, nem todos os cursos divulgados por escolas e faculdades têm essa aprovação do MEC. Por isso, antes de fazer a matrícula, é preciso confirmar se a instituição está credenciada e se o curso pretendido também faz parte do cadastro oficial.

Vale lembrar ainda que os cursos de graduação em Direito, Psicologia, Medicina e Odontologia devem contar também com uma autorização especial do Conselho Federal de cada uma dessas profissões. Tudo isso precisa ser verificado com antecedência para evitar transtornos e frustrações.

É importante destacar ainda que o diploma EAD de ensino superior é aceito como requisito para a pós-graduação. Ou seja, os alunos podem dar continuidade aos seus estudos tanto na modalidade lato sensu — de cursos de especialização voltados para o mercado de trabalho — como também na stricto sensu — composta por mestrados e doutorados, direcionados aos profissionais que desejam seguir uma carreira acadêmica ou de pesquisa científica.

Inclusive, já é possível perceber o crescimento do número de cursos de pós-graduação a distância, o que confirma a eficiência e a qualidade dessa proposta de ensino.

Conclusão

Um futuro promissor está atrelado a uma série de fatores, mas depende, principalmente, da educação. Assim, o autoconhecimento passa a ser indispensável, já que é preciso, antes de qualquer coisa, reconhecer os próprios talentos, habilidades, vocações e ambições.

Partindo dessa autoanálise, é possível elaborar um plano de carreira robusto e eficiente, que deve incluir ações, metas e prazos. Afinal, esse planejamento serve como um guia para que o profissional possa atingir todos os seus objetivos.

Mas é importante salientar que o plano de carreira não deve ser engessado, merecendo revisões e alterações ao longo do tempo. Afinal, a atual o mercado está em constante evolução, devido especialmente ao rápido avanço da tecnologia. E assim novos nichos, áreas de conhecimento e profissões surgem a todo momento, junto com novas especializações e possibilidades. Por isso, o profissional deve estar sempre atento e atualizado para identificar novas oportunidades de crescimento.

Assim, é preciso compreender a importância do curso superior para o sucesso dentro do universo corporativo ou do ambiente empreendedor. Com o conhecimento adquirido, esse profissional se torna mais competente e preparado para enfrentar novos desafios.

A faculdade também favorece o desenvolvimento de muitas habilidades, já que o trabalho em equipe passa a fazer parte do dia a dia dos estudantes. Desse modo, o aluno tem a chance de viver experiências diferentes, abandonando a zona de conforto, a estagnação e a procrastinação. Durante a graduação, é preciso trabalhar coletivamente por meio da colaboração, da ajuda mútua, do apoio bilateral e da complementariedade de talentos e aptidões.

Desse modo, o ensino superior colabora significativamente para a conquista de um novo emprego, de uma promoção e de uma recolocação e, também, para a gestão de novo negócio.

Depois da graduação, é essencial investir no aprendizado contínuo, com a intenção de aperfeiçoar competências técnicas, gerenciais e comportamentais. Os cursos e atividades extracurriculares também precisam ser bem explorados, pois enriquecem o currículo e que garantem uma formação mais completa e multidisciplinar, de acordo com as demandas e as necessidades dos recrutadores.

Por fim, é importante ressaltar que a capacitação ainda é meio mais seguro e confiável para construir uma trajetória vitoriosa, alcançar a estabilidade financeira e a satisfação pessoal. O know-how, o aperfeiçoamento e o networking são os elementos que sustentam essa evolução — que está baseada na meritocracia, uma vez que é sempre proporcional ao comprometimento e à determinação de cada profissional.

E você, o que pretende cursar como graduação? Conte para a gente nos comentários! Pensa em mudar o rumo da sua carreira? Então confira as opções que a Una Virtual está oferecendo para quem quer entrar na faculdade!

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário