Vestibular_dá_para_passar_estudando_sozinho.jpg.jpeg

Se hoje em dia o vestibular é um grande desafio, em 1911, quando ele surgiu no Brasil, não era diferente. Naquela época, além da prova escrita, o exame tinha também uma prova oral. Além disso, eram cobradas não só as matérias básicas, mas também o conteúdo do 1º ano da graduação — uma grande dificuldade para os estudantes que tentavam passar no vestibular estudando sozinhos. Foi para dar conta desse conteúdo extra que surgiram os primeiros cursinhos.

Felizmente essa estrutura mudou e atualmente é perfeitamente possível estudar a distância com alto rendimento. Muitos alunos escolhem enfrentar o vestibular sem cursinhos preparatórios, seja pela falta de tempo, de mobilidade ou de dinheiro.

Fato é que esse desafio torna o estudante mais autoconfiante, disciplinado e, consequentemente, mais preparado para a vida acadêmica. Sim, dá para passar no vestibular estudando sozinho. Reservamos algumas dicas matadoras para que você alcançar esse objetivo. Confira:

Plano de estudos

O que estudar

O primeiro passo é traçar um bom plano de estudos. O conteúdo exigido é extenso e, em muitos casos, a rotina do estudante é maluca, já que é preciso conciliar família, trabalho e estudos. Portanto, é preciso definir logo de início o que estudar e quando.

Leia o “manual do candidato” dos vestibulares que você vai prestar, pois nele consta o programa das matérias que serão cobradas. Desse modo, você otimiza os estudos e evita a perda de tempo com estudo de conteúdos que não serão cobrados.

Material de apoio

Uma vez conhecido o que vai ser cobrado na prova, é hora de buscar o material de apoio. É nele que você verá que os assuntos estão encadeados e que há uma ordem correta de estudo das disciplinas (exemplo: antes de aprender genética, é preciso aprender biologia celular).

Quem resolveu estudar sozinho pode buscar livros didáticos e apostilas de cursinhos (essas últimas trazem o conteúdo mais direto e são mais práticas) nos sebos físicos e virtuais ou ainda com amigos que não os utilizam mais.

Tome cuidado com a atualização desse material, dê preferência a publicações mais recentes, pois os exames (principalmente o Enem) tendem a acompanhar temas atuais. Aliás, a própria ciência muda com novas descobertas e invenções, modificando alguns pontos teóricos das disciplinas. Por isso, fique atento à qualidade e atualização do material de apoio!

Administração do tempo

Pronto, agora é só organizar a rotina de estudo. Veja quanto tempo disponível você tem diariamente e divida esse total pelas disciplinas. No início, é recomendável não se deter a muitas disciplinas em cada turno e pensar sempre na qualidade do aprendizado. Se você dispõe de três horas diárias, estude duas matérias por vez, uma hora e meia para cada uma. Assim, ao longo da semana, você passará por todas elas.

Conforme o seu desenvolvimento, centralize-se nas disciplinas de maior dificuldade. O foco sobre elas fará, inclusive, você perceber o quanto está evoluindo. Se você vai prestar uma carreira na área de humanas, lembre-se de que dominar as disciplinas da área de exatas é um grande diferencial (e vice-versa)!

Compromisso

Ao se sentar diante dos livros, leve consigo o conceito de que “o pior deve vir primeiro”. Isso é triste, mas também útil! Faça as tarefas mais árduas no início, quando se está mais disposto e descansado. Isso porque as matérias nas quais você tem facilidade serão, por si só, um estímulo para esquecer o cansaço.

Foi você quem estabeleceu sua rotina, então dedique-se a mantê-la na prática. É importante estudar todos os dias para condicionar o corpo e a mente (e também dar fluidez à sequência de assuntos). Do contrário, as matérias ficam fragmentadas e você terá que voltar no conteúdo já estudado.

Concentração

Escolha um local arejado e calmo para estudar. Separe todo o material que vai utilizar e mantenha-o próximo. Desligue celulares e se desconecte das redes sociais. Você tem um trabalho sério para realizar, portanto, evite distrações.

Tente manter uma rotina saudável de sono e alimentação. Essa é uma sugestão que vale para toda a vida — mas, principalmente, porque uma doença ou mal-estar nesta fase pré-vestibular vai roubar tempo precioso de você. Por esse mesmo motivo, as baladas “insalubres” com os amigos devem ser evitadas. Lembre-se de que vai valer a pena!

Os gregos já diziam conhece-te a ti mesmo, então, siga o conselho: conheça as circunstâncias nas quais o seu rendimento nos estudos é maior. Muita gente gosta de estudar ouvindo música clássica ou organizando a matéria em diagramas que ajudam na memorização. Sendo assim, “descubra-te a ti mesmo”!

Quando você estiver com muita dificuldade de concentração, tenha calma e dê uma pausa nos estudos (por exemplo, fazendo alongamento antes de voltar aos livros). Por falar nisso, é importante também ter algum momento de lazer nos fins de semana, estando na companhia da família e de amigos. Ou ainda praticar um esporte, que vai liberar no organismo substâncias como a serotonina, que ajudam a combater a ansiedade.

Dúvidas

Uma questão importante quando se decide passar no vestibular estudando sozinho: e se surgirem dúvidas, a quem recorrer? Para compensar essa lacuna, felizmente, já existe na internet muitos canais e plataformas de educação voltados para o vestibular. São muitas videoaulas (gratuitas e pagas) que permitem, inclusive, o esclarecimento de dúvidas diretamente com os professores. Um exemplo de oferta gratuita de preparação para o vestibular é o site Me Salva!, que disponibiliza videoaulas e exercícios.

Simulados e revisão

Exercite o aprendizado fazendo simulados com frequência e baixe as provas anteriores do seu vestibular (já que, geralmente, a estrutura das questões é parecida e os temas também são). A maioria dos vestibulares recentes está disponível na internet, e o melhor: a correção também está on-line. Faça a prova em casa e depois corrija-a dando especial atenção às questões que você errou.

Não subestime a importância da revisão: depois de ler a teoria e realizar os exercícios, é imprescindível que o conteúdo seja revisto. Por exemplo: os livros de literatura cobrados nos vestibulares devem ser lidos ao longo do ano para não sobrecarregar o 2º semestre. Durante a leitura, faça fichamentos (resumos esquematizados) e revise-os quando a prova estiver mais próxima.

Há vários recursos simples e úteis para quem decide passar no vestibular estudando sozinho, como os flashcards. São cartões com tópicos do conteúdo estudado que ajudam na memorização. Você pode escrever no flashcard apenas o conceito e completar a definição de memória, uma espécie de prova oral, na qual você mesmo é o professor e o aluno.

Motivação

Buscar inspiração vai manter seu objetivo ali, no horizonte. Imagine seu nome na lista de aprovados, o 1º dia de aula na melhor universidade, a rotina de universitário e claro, o diploma. Inspire-se também em outros estudantes que venceram o mesmo desafio e hoje são bem-sucedidos.

Passar no vestibular estudando sozinho é um desafio mais do que gratificante em termos de economia e autonomia; são muitos os benefícios de estudar em casa. A opção por esse tipo de estudo traz muito mais vantagens do que desvantagens: o estudante não perde tempo com o deslocamento até o local das aulas, aprende a ter mais disciplina, dita o ritmo dos estudos e, o que é muito importante, economiza dinheiro.

E então, você já traçou seu plano de estudos? Quais são as vantagens que mais te atraem nessa escolha de passar no vestibular estudando sozinho? Conte para gente nos comentários!

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário