conheca-10-licoes-budistas-que-todos-deveriam-aprender.jpeg

Cada religião tem seus próprios ensinamentos que podem ser incorporados mesmo por aqueles que não compartilham da mesma fé. Conhecer os pilares de cada crença pode ajudar a fortalecer a sua espiritualidade e sua conexão consigo mesmo. Por isso, é importante manter a mente aberta para aproveitar o que cada uma delas pode agregar na nossa rotina e usar esse aprendizado para evoluir ainda mais.

Algumas lições budistas, por exemplo, podem trazer diversos benefícios quando colocadas em prática. Nesse artigo, listamos dez lições do budismo para aplicar no seu dia a dia. Confira: 

1. Controle a sua mente

Uma das principais lições que podemos aprender com o budismo é a necessidade de controlar nossa própria mente. Uma pessoa ansiosa, por exemplo, pode utilizar essa habilidade para focar em uma coisa de cada vez, diminuir seus medos e reduzir o estresse.

Por outro lado, quem se distrai facilmente pode aproveitar esse autocontrole para conhecer seus gatilhos, evitar devaneios, distrações e a falta de atenção. Assim como qualquer outro músculo, o cérebro também pode ser “exercitado” de forma a funcionar da maneira mais adequada.

2. Saiba lidar com a ansiedade

A ansiedade é outro aspecto muito trabalhado na religião budista. Por meio dela, aprende-se a ver as coisas, pessoas e situações como elas são, vivendo no presente e diminuindo as preocupações que eventualmente te atrapalhem a viver sua vida.

Quem é ansioso normalmente está remoendo situações passadas, ou se preocupando com o que está por vir no futuro. Seja qual for a situação, esse não é um estado de espírito saudável, muito menos produtivo.

3. Observe o universo ao seu redor

Vivemos em um mundo tão cheio de estímulos, artificialidades e invenções humanas, que é fácil perder o contato com o universo ao nosso redor. Com a era digital, focamos muito no mundo virtual e nos esquecemos de observar aquilo que é palpável a nossa volta.

Retomar essa característica pode trazer diversos benefícios. Ao perceber melhor as pessoas, cenários e situações em que nos encontramos, ganhamos consciência, confiança, foco e presença em nossas ações. Estar na natureza e se desconectar também é importante para nossa saúde física, mental e espiritual.

4. Aceite a impermanência das coisas

Um princípio importante do budismo é que as coisas fluem, não são estanques, nem permanentes. Isso quer dizer que os seres vivos morrem, nascem, renascem e se transformam, assim como o tempo, a natureza, nossos sentimentos, e todas as outras coisas da vida.

A religião budista busca aceitar a condição temporária das coisas e simplesmente ser grato ao que é. Aceitar essa impermanência das coisas é um exercício constante, que exige disciplina e autocontrole. Essa lição também ajuda a lidar com a ansiedade e a frustração. 

5. Viva no agora

Essa é uma máxima que também está presente em diversas outras religiões e práticas orientais. Viver o presente, sem remorsos em relação ao passado e livre de antecipações quanto ao que vem no futuro é um dos desafios atuais da sociedade.

Dentre as lições budistas, essa é uma das principais, já que o seu exercício facilita a implementação dos demais aprendizados. Na prática da yoga e da meditação, por exemplo, viver no agora, focar neste instante são medidas essenciais para atingir a plena consciência.

6. Cuide das suas palavras

Segundo o budismo, as palavras têm enorme poder em nossas vidas. Sejam elas escritas ou orais, é preciso se preocupar com o que se diz e se ouve. Palavras têm o poder de machucar as pessoas, mas também de empoderá-las.

Tenha mais consciência do que você diz em seu cotidiano para as pessoas ao seu redor. Isso fará de você um indivíduo mais responsável e consciente do poder que exerce  sobre todos a sua volta.

7. Se ame

É preciso amar a si mesmo para também conseguir praticar o amor por outras pessoas. Essa pode parecer uma lição egoísta, a princípio, porém é essencial para o budismo. Amar e aceitar as próprias habilidades e limitações são formas imprescindíveis de conhecer a si mesmo.

Além disso, ao se relacionar com outras pessoas, aqueles que se amam antes de tudo, terão uma abordagem mais saudável nesses relacionamentos. Não serão relações de dependência, mas de efetiva entrega, afeição e admiração. As pessoas que você ama não te completam, mas te complementam.

8. Conheça a si mesmo

O autoconhecimento é uma das chaves para alcançar a plenitude com o budismo. É por esse motivo que a prática da meditação é uma prática cotidiana para os budistas. Nada mais apropriado para o autoconhecimento do que passar um tempo diariamente com a própria mente.

Mas você não precisa meditar para conhecer a si mesmo. Também é possível refletir sobre suas próprias ações, reações, anseios, gostos e desgostos. Todas essas experiências contribuem para o crescimento pessoal e o desenvolvimento de nossos objetivos ao longo da vida.

9. Pratique o desapego

Vivemos também em uma sociedade cada vez mais apegada às coisas materiais, ao consumo e ao distanciamento das relações humanas. Isso pode ter efeitos bastante negativos em nossas trajetórias pessoais, nos tornando pessoas mais individualistas, alienadas e dependentes.

O budismo nos ensina a ser mais frugais e a aproveitar as vivências humanas no dia a dia. Em vez de focar no “ter”, é preciso se concentrar no “ser”. Essa atenção maior às relações interpessoais é benéfica para vários aspectos de nossa vida: financeiro,  amoroso, profissional, acadêmico e espiritual.

10. Julgue menos

Finalmente, uma última lição que temos a aprender com o budismo é a necessidade de perceber as coisas pelo que elas são. Normalmente, nossa percepção de mundo é deturpada pelas próprias expectativas, julgamentos e frustrações que projetamos nele. Por exemplo, uma relação afetuosa pode parecer menor ou menos importante do que realmente é, porque acreditamos que ela deva ocorrer como nos filmes de romance.

No entanto, aceitar e perceber essas situações por meio da realidade dos fatos é um exercício que diminui frustrações e ansiedades, controla expectativas e contribui para a tomada de decisões mais inteligentes e informadas.

Você já aplica alguma dessas lições budistas em sua vida? Teria outras sugestões para compartilhar com nossos leitores? Deixe seu comentário aqui! 

5 segredos da gestão de tempo para estudantes

Deixe um comentário